ICSI

A ICSI (Injeção Intracitoplasmática de Espermatozoide) foi um dos maiores avanços desde o início da era da reprodução humana assistida, uma vez que ampliou-se muito o número de casais que se beneficiaram com esta técnica e conseguiram realizar seu sonho de ter um filho.

É um processo semelhante ao da FIV, todos os preparatórios até a coleta dos óvulos são idênticos, o diferencial é que a fecundação ocorre por um processo diferenciado. Usa-se um aparelho delicado que se chama micromanipulador. Faz a seleção de um único espermatozoide e injeta-o dentro do óvulo. Após 18 horas verifica-se a fertilização e o seguimento é semelhante ao da FIV até a transferência para cavidade materna.

Indicações:

As indicações são as mais amplas dentro do laboratório de reprodução humana. Assim, se o casal não consegue uma gravidez espontânea a ICIS tem indicações em todas as outras formas de tentativas. Especificamente, atribui-se a indicação de ICSI para os seguintes casos:
- Homens com baixa contagem de espermatozoide no ejaculado.
- Homens previamente vasectomizado, que são submetidos a retirada de sêmen do epidídimo e dos testículos.
- Homens com azoospermia em que seja possível obter espermatozoides por microcirurgia ou punção de testículos.

Baixa resposta dos ovários aos estímulos hormonais

Este processo é sem duvida o mais utilizado nas clínicas de reprodução assistida e também é o nosso método de escolha, uma vez que temos melhores resultado de fertilização e formação de embriões. Mesmo casais sem nenhum fator definido de infertilidade. Assim, temos maiores taxas de sucesso no tratamento de reprodução assistida. Este tratamento, apesar de usar aparelhagem mais sofisticada e maior quantidade de material especifico não tem nenhum custo adicional em relação à FIV convencional.
TOP